Desmentindo o estereótipo que o Tai Chi Chuan (TCC) é "coisa para idosos"

Atualizado: 14 de jul.

Enquete respondida para o blog do instrutor Edgar Shiguenaga - Segredo da Vida

https://edgardshigenaga.blogspot.com/2010/08/adriano-carneiro-da-rocha-cuiaba-mt.html


Desmentindo o estereótipo que o Tai Chi Chuan (TCC) é "coisa para idosos", os instrutores formados pela SBTCC possuem idade desde 20 até acima de 50 anos. Sendo que o interesse dos jovens entre 20 e 40 anos tem aumentado consideravelmente.

As pesquisas do IBGE em 2009, informam que a expectativa de vida no Brasil chega aos 72,8 anos de idade. As pessoas tem dado muita importância à qualidade de vida. Pois não querem apenas viver mais, e sim, viver na plenitude e com qualidade. O TCC é um caminho que possibilita esse desejo de viver melhor.

Baseado nessa procura, realizei uma enquete com instrutores e instrutores em formação, que estão espalhados pelo Brasil inteiro. O objetivo é divulgar o TCC aos interssados e simpatizantes, possivelmente tenha um instrutor na sua região. Adriano Carneiro da Rocha 1- Instrutor (à quantos anos) ou está em processo de formação? R: Recém terminado o terceiro módulo de curso de formação (jul/2010), mas sou praticante de Tai Chi Chuan desde 1997, quando me iniciei no estilo Pai Lin. Em 2003 me iniciei a prática no estilo da Família Yang, com o instrutor Fabiano Divino de Arruda.


2- Por que você procurou o TCC? R: Dentro das artes marciais chinesas é amplamente sabio que o TCC é uma arte de elevado nível marcial, então eu senti interesse em conhecê-la, pois sou praticante de Kung Fu. Outro motivo que me levou à prática foi a prática marcial como caminho de desenvolvimento espiritual. 3- Como tem sido o interesse pelas pessoas da sua região em relação ao TCC? R: Tem aumentado muito, mas nesse momento ainda não há um trabalho forte de divulgação. Muitas pessoas ainda não sabem o que é o TCC. Em poucos eventos que participei, ou aulas que ministrei, pude perceber que há uma boa aceitação. 4- Qual o seu público alvo? R: Ainda não estou atuando como instrutor de TCC, mas futuramente, pretendo utilizar o TCC em conjunto com outras técnicas da MTC para recuperação e fortalecimento da saúde. 5- Possui outro ofício além de ser Instrutor? Qual? R: Na verdade, neste momento, só possuo um ofício, e ainda não é o de intrutor de TCC, rsrsrs. Sou Assistente Judiciário de Gabinete, no Fórum Civel de Cuiabá/MT. 6- Como você vê o desenvolvimento do TCC no Brasil? R: Vejo que tem aparecido cada vez mais praticantes. Quando as pessoas entendem o que é o TCC, é fácil muitas delas se interessarem, pois é um método muito eficaz de desenvolvimento humano. Ele te ensina a se conhecer, se recuperar e se fortalecer nos três níveis do ser humano, o qual estudamos na MTC, que é o nível físico, psíquico e o emocional. Assim, considerando que a população está cada vez mais informada quanto ao conceito de saúde e o que fazer para recuperá-la e mantê-la, é natural que a demanda de praticantes de TCC aumente. Pelo fato de ser um método muito completo de produção da saúde e sem "contra indicações", ou seja, não causa lesões, ou descompensarão muscular, além de não causar impactos, essa é uma prática ideal para todas as pessoas. Ainda, imagino que outro resultado quanto ao desenvolvimento do conceito de saúde seja a necessidade de aprender a fortalecer sua saúde. Para o senso comum, e para muitos profissionais da área da saúde, o conceito de saúde se resume a ausência de doença, ideia essa já superada pelas ciências da saúde na atualidade, assim como, pelos conhecimentos Orientais desde a antiguidade. Mais do que a ausência da doença, precisamos de uma mente clara e alerta, o corpo bem disposto e a sensação de calma e paz interior. Apesar de já termos lido isso em algum lugar, não colocamos isso em prática, até por um motivo bem compreensível, a falta de um bom método para alcançar esse conjunto. Com o aprofundamento dos estudos do TCC, foi possível verificar que ela contém um bom método para desenvolver para altos níveis desse "novo" conceito de saúde.


7- Deixe uma mensagem para aqueles que desejam praticar a arte, mas falta coragem ou iniciativa. R: Bom, acho que mais do que coragem ou iniciativa, falta apenas conhecer-se a prática.

Pelo fato dessa ser uma arte marcial e a nossa cultura não ter histórico beligerante, essa prática nunca pôde ser valorizada no Brasil. Mas nos países orientais, é há muito tempo sabido que as artes marciais, especialmente as artes "internas", no sentido de artes que visam o fortalecimento interior do ser humano, têm grande valor para melhorarmos como seres humanos, pois nos faz tomar consciência e desenvolver pontos que nosso dia a dia não nos apresenta claramente, como desenvolver a paciência, a perseverança e a disciplina. Penso num paralelo muito interessante com a cultura ocidental, onde vimos uma infinidade de descobertas tecnológicas por causa das guerras. Muitos remédios, como a penicilina, ou os cremes a base de água, foram pensados para atender necessidades bélicas. Nesse mesmo sentido, teve um bom resultado as artes marciais orientais para o desenvolvimento humano, pois na antiguidade, o principal instrumento de guerra era o corpo, que deveria estar nos seus estados mais elevados para conseguir suportar pessoalmente as linhas de batalha. Por isso, era necessário um alto desenvolvimento mental, emocional, físico e moral.

Como os próprios mestres das 5 famílias tradicionais disseram no último seminário nos EUA, o Oriente já sabe que o TCC é eficaz para a saúde, mas os ocidentais necessitam de estudos científicos para aceitar a sua eficiência, então, é preciso experienciar a prática, seja com estudos científicos, seja adotando-o em nossas práticas diárias. Então, para aqueles que ainda não conhecem o Tai Chi Chuan, fica o sincero convite de alguém que teve muitos benefícios com a prática. Venha, faça uma aula conosco! Adriano Carneiro da Rocha

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo